,

Textos


CAPÍTULO I

TARZAN DAS BANANEIRAS

 
Não sei como a geração dos anos 60, 70 e 80 sobreviveram à infância, pois as nossas brincadeiras eram no mínimo, verdadeiras ameaças a nossa integridade física.

Lembro que um dia, nos fundos da casa do meu Pai, na divisa com a casa do vizinho, tinha uns pés de banana, um pouco no nosso terreno,  e outros, no terreno do vizinho.

O que dividia um terreno do outro era uma cerca de madeira, feita com sarrafos, tipo estradinho. 

O terreno do pai tinha um rebaixo, então nós nos pendurávamos nas folhas das bananeiras, pegávamos embalo e íamos de um lado para o outro sobre a cerca, gritando feito o Tarzan.

Eu, o meu irmão João e o meu primo Zeca, cada um tinha a sua vez de ir e voltar, voando por cima da cerca.

Era para ser a minha vez, mas disse ao Zeca que ele podia ir no meu lugar.

O Zeca pegou o embalo e foi, ...

O que aconteceu?

Você vai saber no próximo capítulo

Narrado por: Alexandre Zucco 
Nossa Família Nossa História
Enviado por Nossa Família Nossa História em 24/01/2021
Alterado em 24/01/2021


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras